Aqui no Brasil também é ditadura

porJeronimo Molina

Aqui no Brasil também é ditadura

Pensamos em ditadura quando não podemos votar. Isso é pouco. Ditadura é muito mais que isso.

Ter liberdade, ou seja, viver em democracia é poder dialogar com os governantes sem que estes exijam nomes chiques como “vossa excelência”. A autoridade e o respeito deve ser proveniente do cargo que se ocupa, não de sua obrigatoriedade em lei.

Ter liberdade é caminhar pelas ruas sem medo, comprar produtos sem contar moedas, trabalhar para crescer na vida. 

Ter liberdade é ser lembrado pelo seu candidato depois de eleito, ter contato direto com ele, e cobrar sem retaliações.

Isso é ter liberdade. Aquilo que temos no Brasil não é liberdade. 

Podemos até escolher nossos governantes por meio do voto, mas só isso. Estes governantes são eleitos e depois não lembram como é dura a vida do cidadão. 

Estes eleitos se organizam em altas rodas da elite e de lá elaboram suas leis para toda a população, empurrando goela abaixo.

Veja se algum político anda de ônibus? Não. Motivo é simples, tem medo de ser cobrado por aquilo que prometeu. 

Roubalheira no ar-condicionado

Enquanto nós vivemos aqui um dia depois do outro na tentativa de sobreviver com nosso mísero salário, políticos vivem lá nos gabinetes realizando maracutaias com ar-condicionado.

Só caminham por entre o Povo quando é época de eleição, na tentativa de angariar mais votos. 

Vendem seus princípios em busca de cargos, largam mão daquilo que poderia ajudar o Povo em troca de favores.

E na eleição seguinte estão lá, com maior cara de pau dizendo que fizeram isso ou aquilo. Então você se pergunta: “onde mesmo?”. 

Solução?

Tem solução para acabar com essa pilantragem que fazem conosco. Basta votar em quem você convive.

Não adianta votar naquele cidadão que somente vê em época de campanha. São nos candidatos mais próximos que sua voz pode ser ouvida.

Por você conhecer seu amigo, vizinho ou parente você pode avaliar se ele é ou não uma boa opção para defender aquilo que você acredita.

“Mas para governador, presidente? Não vou conhecer”, disse você.

Claro que não vai. Por isso deve saber quem ele é por meio da internet. Pesquise sobre a vida dele, o que pensa a respeito de alguns assuntos que chama sua atenção. 

Um caminho também é saber se o candidato é de direita ou esquerda, assim fica mais simples conhecer o que ele pensa a respeito de gasto público.

Se você não conhece direita ou esquerda um bom teste é do site Political Compass. Lá você realiza um teste que mostra seu espectro político. Depois é só comparar com os candidatos.

Conclusão

Nós não temos liberdade, mas está em nossas mãos nos libertarmos. Basta pesquisar, conhecer e escolher. Vai acertar em cheio? Talvez não, então passe ser hora de cobrar em quem votou e virou político.

Sobre o Autor

Jeronimo Molina administrator

Deixe uma resposta