Caxias do Sul, RS
54 | 981001395
contato@jeronimo.co

Pode alguém defender duas posições políticas?

Pode alguém defender duas posições políticas?

Aquele seu amigo defende que todos deveriam ter possibilidade de comprar armas para se defender da criminalidade. Mas teu o outro amigo que defende o direito de pessoas de mesmo sexo se casarem. Parecem posições antagônicas, né? Mas não são.

Muitas vezes acreditamos que pessoas que defendem determinado ponto de vista são contrários a outro ponto de vista, mas nem sempre é assim. Na vida em sociedade vivemos com diversas ideias e pessoas ao mesmo tempo. Direito é algo fundamental para que todos possamos viver em harmonia.

Por isso hoje dispomos de alguns direitos fundamentais como direito a vida, moradia, lazer, entre outros, garantidos todos pela Constituição Federal. No entanto existem outras ideias que não são direitos garantidos em lei, tornando assim a luta por mais equidade social presente no cotidiano.

Uma dessas lutas é pela defesa do cidadão andar armado. Difundida pelo especialista em segurança Bene Barbosa, essa ideia traz consigo boa parte da insegurança que vivemos. Através do Movimento Viva Brasil, Barbosa traz dados que demonstram que a liberdade somente será plena se houver a possibilidade deste defender sua vida e seu patrimônio.

Outra luta é pelo direito civil da união de pessoas do mesmo sexo. Durante muitos anos pessoas homossexuais, apesar de manterem laços matrimoniais não tinha a garantia legal de herança, comprar moradia com renda conjunta, entre outros aspectos comuns para uniões heteroafetivas. Com isso diversas pessoas acabaram perdendo patrimônio.

Dá para defender os dois?

Claro que dá! Quando defendemos direitos das pessoas na sociedade estamos em busca do equilíbrio social, ou seja, que todos possam usufruir daquilo que desejam, sem ferir ou ofender o outro. Quando lutamos por maior liberdade estamos lutando por causas assim, onde o papel do Estado deve se tornar irrelevante perante a vida privada.

Precisamos defender nosso patrimônio e nossa vida da criminalidade. Não podemos ficar a mercê de uma suposta presença da força policial que está sucateada e não está presente em todo lugar. Também precisamos defender aqueles que se unem sendo do mesmo sexo, para que este possam usufruir de sua vida sem dar explicações.

Ser livre é estar de acordo com diversos lados, não é ficar em cima do muro, mas dar a possibilidade de se defender ou constituir uma família.

Mas isso é de esquerda ou direita?

Norberto Bobbio, cientista político italiano descreveu que tanto a direita quanto a esquerda acabaram. Não existem mais espectros políticos e sim ideias políticas. Mesmo assim ainda alguns grupos tomam para si atributos ou posições como se deles fossem, determinando que estas pertencem a determinado tipo de pensamento.

De toda forma podemos dizer que aquele que acredita que ambas lutas estão corretas pode ser considerado liberal, pois imagina uma sociedade compostas por diferentes grupos que vivem de maneira harmônica entre si. Não está em busca de rótulos ou etiquetas para definir o pensamento do outro.

Ser liberal é estar conectado a modernidade, caminhar para frente, tornar o mundo um lugar melhor para se viver. Também é querer um Estado justo, que faça leis para garantir direitos fundamentais a população. Mas também um Estado eficaz e não invasivo, onde os gastos públicos sejam controlados com rigor e as regras não interfiram na vida privada de cada um.

 

 

Um comentário

  1. Jose disse:

    Não sou a favor do direito de mesmo sexo. Pois vai contra um mandamento de Jesus. E se queremos o bem do Brasil. Agora temos que respeitar e amar as pessoas. Sim. Podemos fazer o que quiser, mas cada um vai prestar contas com Deus da sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *