Governo moribundo. Povo morto-vivo?

porJeronimo Molina

Governo moribundo. Povo morto-vivo?

Estou chocado. Estou estupefato. Como democrata convicto e partícipe de processos eleitorais em toda minha vida não posso compactuar com excessos de nenhum lado. Vivemos tempos sombrios, onde um povo dividido se esgueira entre governantes corruptos, instituições frágeis e parlamentares inaudíveis.

A crise política deflagrada graças a condução econômica errática do governo da petista Dilma Rousseff, alimentada por escândalos de corrupção de todos os setores políticos da República um sentimento anti-PT, foram o estopim para aquilo que vimos em Brasília neste dia 24 de Maio.

Movimentos sindicais protagonizaram cenas de vandalismo que não tínhamos visto ainda. Infiltrados ou vândalos diversos quebraram vidraças, colocaram fogo em ministérios, levaram pânico e tumulto para a Esplanada dos Ministérios. A polícia aturdida e acoada precisou agir com rigor acima de média para atos assim, usou de expediente impróprio para combater a turba que depredava.

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Sabendo que a grande maioria do povo brasileiro é pacífico, passa distante de protestos mais acalorados ou que descambem para violência – algo que segue como sinônimo de criminalidade, pelo jargão jornalístico – Temer resolveu convocar as Forças Armadas. Foi aplaudido por boa parte da população que distante do espectro da crise pede “diretas já não” ou eleições indiretas.

Nosso governante não tem condições de governar, não somente pela crise econômica, mas pela crise política. Afogado em denúncias de corrupção, Temer esperneia no poder e age de maneira deliberada enviando um recado a todos aqueles que pretendem retira-lo do poder “não renunciarei”.

Andressa Anholete/AFP

A população açoitada por 13 anos de governo petista colocou a culpabilidade dos problemas do país no partido de Lula e Dilma, mesmo cientes que a corrupção é endêmica e generalizada no poder. Avaliza políticas do governo federal e terceiriza o papel de escolha aos próprios políticos. Há mesmo quem diga que “oposição é somente para atrapalhar”.

Preferem pouco a pouco ter seus direitos civis retirados em prol de uma suposta “ordem e progresso” sinônimo de “Brasil: ame-o ou deixe-o”. Preferem um governo corrupto igualmente ao anterior a liberdade poder escolher. Querem Forças Armadas nas ruas agindo como polícia igualmente ocorre na Venezuela, China e Irã. Almejam um estado de exceção em prol de uma falsa sensação de segurança, enquanto ratos ficam usufruindo as benesses do poder.

Adriano Machado/Reuters

Dias atrás escrevi que o governo Temer é um zumbi, de fato é. Não há nada mais aterrador que um morto-vivo: grunhe, rosna, se despedaça e ataca sua vítima tornando-a igual. Após caminhando lado a lado grunhindo e rosnando pensando igualmente e somente em sua próxima vítima.

Seríamos nós mortos-vivos iguais ao governo?

Sobre o Autor

Jeronimo Molina administrator

Deixe uma resposta