Não podemos colocar nos outros a pretensão de subir e alcançar o sucesso

Estudar bastante e se aprimorar. Essa foi a máxima para conseguir um lugar ao sol na escada corporativa. Agora são exigidas outras qualificações que vão muito além dos diplomas, títulos ou cursos. Empregadores do mundo todo querem profissionais engajados de corpo e alma no negócio, pessoas que vistam a camiseta da empresa e sofram com ela quando as coisas dão errado.

Claro, é difícil dizer isso em tempos de recessão. Com desemprego em alta e baixo consumo empresas por todos os cantos estão atrasando salários, não pagando direitos trabalhistas, não dando férias. Porém não é ficando contra a empresa que conseguiremos obter algo. Tirando do balaio os maus empreendedores (aqueles que atrasam os salários mas passam férias no Caribe), a grande maioria rala um bom bocado para manter o negócio funcionando. Por este motivo acreditar que ficando contra a empresa, torcendo para clientes desistam da compra, esperando o “grande dia” quando a mesma irá fechar as portas não adianta nada.

Por isso precisamos primeiro realizar uma auto-análise nos questionando a respeito de nosso espaço dentro daquela empresa. Se nessa auto-reflexão vermos que estamos “sobrando” é hora de partir para outra. “Ah, mas eu gosto do que faço, meu colega impede meu crescimento”. Bem, não é verdade.

Na grande maioria dos casos o seu colega de trabalho está mais preocupado em obter os resultados que a companhia está esperando dele do que cuidando de ferrar com você. Crescer profissionalmente depende de si próprio, não do espaço em branco deixado na ausência do outro. Quem vive a sombra ou a margem do colega é no mínimo medíocre.

Então antes de culpar seu colega por estar na mesma colocação há muito tempo reflita se realmente suas atitudes profissionais estão de acordo com os valores da empresa. Estão semelhantes ou iguais comece a se aprimorar, se qualificar. Mas não digo para fazer aquele curso de informática básica ou um curso de atendimento ao público, digo se aprimorar de verdade.

Faça um curso que seja apaixonado, estude com afinco e vontade sobre o tema que tem verdadeiro tesão e não se preocupe com a opinião alheia. Quer fazer gastronomia? Sem problemas. Importa na qualificação seu sonho, sua vontade. Não limite seu sonho somente com a posição que seu colega ocupa acima de você.

Também vale ressaltar que você pode crescer profissionalmente fora da empresa que trabalha. Participe de um programa de voluntários, seja influente nas redes sociais, engaje em um movimento político. Crescer não é somente sinônimo de estar no mesmo trabalho depois de 20 anos ininterruptos. Portanto a participação em outras atividades também poderá agregar a sua carreira, tanto que pode usar a experiência obtida fora da companhia dentro dela no futuro.

Cabe ressaltar que você pode usar seu próprio trabalho como trampolim para outra atividade. Seu rendimento é pequeno nessa posição? Verifique quais posições melhor remuneram e busque com afinco economizar (guardar grana mesmo!) para fazer aquela viagem ou curso que tanto deseja. Sei que hoje em dia é difícil guardar uma grana para qualquer coisa, mas um pequeno esforço compensará no futuro.

Por fim se programe. Ninguém é insubstituível, todos podem acabar sendo demitidos um dia. Portanto não basta somente se qualificar, participar de uma atividade fora da empresa ou guardar uma grana. Você precisa estar antenado no mercado de trabalho, ver os classificados mesmo que esteja empregado. Nunca se sabe o dia que irá precisar buscar um novo emprego.

E nunca se esqueça que não é seu colega que impede seu crescimento profissional, só depende de uma pessoa sair da zona de conforto e ir um busca de um novo caminho para obter o sucesso: você.

Leave a Comment