Caxias do Sul, RS
54 | 981001395
contato@jeronimo.co

Democracia direta por meio do celular

#RSdeNovoGrande

Democracia direta por meio do celular

O conceito de democracia direta remonta os primórdios da civilização. Como forma pioneira do conceito surgiram ainda no Império Romano as ágoras, locais onde se reuniam os cidadãos romanos para discutir os problemas da cidade. Uma experiência mais recente acontece na Suíça, onde os cidadãos discutem os problemas de cada condado de maneira direta, sem a interferência de um representante eleito.

Com o crescimento da internet se tornou mais fácil desenvolver soluções de democracia direta. Um exemplo que já é utilizado na Argentina é o aplicativo Democracy OS. Nele o eleitor pode escolher qual projeto de lei seu deputado deve votar e como ele deve votar. Seria uma excelente alternativa, porém ainda permanece com a figura do representante eleito, algo que nem sempre pode demonstrar o interesse por temas polêmicos.

Indo na mesma direção, mas de maneira mais direta, um jovem estudante de jornalismo da UCS está desenvolvendo um livro em formato de e-book para ampliar a discussão sobre o tema. O livro com o nome Democracia On-line: Rede Cívica, será publicado mediante a financiamento coletivo (crowdfunding) a partir do próximo dia 10 de Novembro.

Autor do projeto e livro André Sebben.  (Carlos Müller/divulgação)

A proposta é resultado de uma pesquisa de três anos por André Sebben com auxílio dos professores Ramone Mincatto (doutora em Ciência Política) e Amilton Carlos de Mello (mestre em Administração de Sistemas), tem por ideia um modelo de reestruturação do sistema político brasileiro, pelo qual o cidadão teria a possibilidade de participar de maneira mais ativa das decisões legislativas, com direito a voto direto, sem a necessidade de representante político (como o caso de vereadores), em projetos e leis. Todo o processo seria realizado por meio de um portal ou aplicativo móvel, bastando uma conexão com a internet. Votar ou não votar em um projeto, também seria uma opção do cidadão, fazendo valer o voto da maioria.

Os novos conceitos explicados no livro.  (Arte: Rede Cívica/divulgação)

Mas André não espera ficar somente no livro, se quer colocar o aplicativo em prática. Sob o nome de Rede Cívica o app quer dar voz ao brasileiro por meio do voto online, fazendo com que o cidadão esteja no centro das decisões políticas do país. Tudo isso permeado por novos conceitos na política como emancipação política, quantificação proporcional do espaço público e nova engenharia legislativa.

Para contribuir com o projeto basta acessar este link.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *