Caxias do Sul, RS
54 | 981001395
contato@jeronimo.co

O prelúdio de uma ditadura

#RSdeNovoGrande

O prelúdio de uma ditadura

Como se inicia uma ditadura? Há sempre indícios quando estamos a caminhar para ter um déspota no comando de um país, mas o primeiro deles é a falta de interesse da população em quem a governa. 

Não é impossível de ver que nas ditaduras do século XX, a grande maioria ocorreram por meio de sufrágio, ou sejam, eleições. Seria uma estupidez incrível um ditador assumir o poder sem a chancela do povo. Dessa forma o ditador pode sempre “tutelar” o povo e ameaçá-lo com a premissa que foi sua própria escolha. 

Hoje no Brasil não é diferente. O governo petista amedronta todos os brasileiros com medidas autoritárias, na intenção de perpetuar-se no poder a qualquer custo. Para tal, foi eleito de forma direta, e justifica-se sempre quando pode usando este subterfúgio. 

Grupos pró-impeachment tentam convencer as grandes massas – já carcomidas e sofridas por tantos micro-déspotas em prefeituras e governos estaduais – que é necessário rebelar-se contra o sistema de mordaça que o PT e seus asseclas impuseram a todos nós. 

Porém, o medo começou a tomar conta do Povo, não medo de ser morto ou preso, mas medo da mão “invisível” do Estado autoritário, que pode destruir uma pessoa sem disparar uma bala. A rede de dossiês, muito usados na década de 1990, volta ativamente para macular imagens, roubar dados, ameaçar adversários. 

O cidadão comum de bem torna-se a principal vítima da voracidade com que o governo petista se agarra ao poder, perseguindo não somente opositores, mas todos aqueles que querem um Brasil mais justo e mais livre. 

Haveria os movimentos sociais pró-impeachment necessidade de mudar sua atuação? Creio que não. De toda forma há necessidade urgente que cada um de nós venha a manifestar sua indignação ao caos instaurado em nosso país, antes que vivamos tal qual a Venezuela. 

Vivemos um prelúdio de uma ditadura. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *