Software livre e Temer

porJeronimo Molina

Software livre e Temer

Utilizamos aqui em nosso Instituto o software livre Ubuntu Linux. Eu que escrevo uso o sistema operacional há mais de 10 anos. Nunca me deixou na mão, pelo contrário, faço tudo o que quero, edito podcasts, navego na internet, verifico e-mail, entre outras funções. Mas tem uma coisa que é muito melhor, é de graça. Parece que isso o presidente Temer não sabe.

Existe a conversa que Michel Temer (PMDB) quer trocar os sistemas do governo de softwares livres para sistemas pagos (ou seja, Windows). A desculpa para essa troca, segundo o site Motherboard Brasil, seria para proteger sistemas contra ataques de hackers, algo que é questionado por especialistas. De acordo com o site Gizmodo Brasil, a ideia é adquirir licenças perpétuas e trocar até dia 11 de Novembro em todos os órgãos petencentes ao governo.

Entretanto existem setores do governo que utilizam já sistemas da Microsoft, dentre eles Banco do Brasil e Receita Federal. Mesmo assim o custo com a aquisição de licenças pelo governo seria extremamente alto, sendo estranho para quem tem a ideia de economizar. Mas isso tem uma explicação.

O anúncio de aquisição de produtos Microsoft se deu após uma conferência da empresa norte-americana no governo, onde foram apresentadas soluções para governos. Nessa conferência estava o ministro da Ciência, Tecnologia e Comunicações, Gilberto Kassab (PSD).

Quando vai dar a conta?

Em uma pesquisa verificamos quanto poderia custar a troca de todos os sistemas no governo federal por plataformas da Microsoft (considerando somente o Windows). Existem diversos parceiros da empresa que fornecem licenças perpétuas, mas nenhum demonstra claramente o custo destas. No site da própria Microsoft verificamos várias informações sobre benefícios dos programas de licenças sob volume, como são chamadas as licenças para mais de 250 computadores, porém nada fala sobre custos

Agora, se considerarmos uma licença de produto para usuário empresarial convencional, vemos o valor de R$ 809,99 para a versão do Windows Pro. Não sabemos quantos computadores existem no governo federal, mas podemos afirmar que o custo será grande.

Segundo o diretor executivo da Linux Internacional, Jon “Maddog” Hall, disse para o site Tecmundo, o Brasil gasta mais de R$ 3,7 bilhões para pagar licenças de softwares desenvolvidos em outros países. Sobre este caso em específico, uma auditoria da Controladoria Geral da União disse que o Portal do Software (PSP) poderia economizar cerca de R$ 600 milhões ao utilizar softwares livres.

Por que software livre?

As vantagens de utilizar software livre vão além de redução nos custos, passam pela flexibilidade, melhor conhecimento por parte de programadores e possibilidade de criar sistemas de gerenciamento personalizados. Com base no site Escola Linux separamos 5 motivos para uma empresa (ou governo) usar software livre:

1 — Custo benefício

A compra de softwares e aquisição de licenças é considerada um dos maiores gastos de TI dentro das empresas. Deste modo, quando se opta por Softwares Livres, é possível reduzir grande parte destes gastos, sendo necessário somente o investimento na implementação destes softwares.

2 — Personalização

Outra razão para optar pela modalidade Open Source está na possibilidade de personalizar o software conforme a necessidade da empresa, o que torna-se impossível com o uso de softwares com códigos fechados.

Com isso, além de ter o benefício de custos, a empresa tem a liberdade para ajustar a codificação conforme desejado.

3 — Segurança

A segurança da informação também é um fator muito preocupante para empresas. Desta forma, ao optar pela modalidade de Softwares Livres é possível obter o benefício de contar com uma comunidade que está constantemente em busca de falhas, passando a testar as codificações e ajustá-las sempre que necessário.

4 — Opções de fornecedores

Quando se opta por Softwares Livres, é possível se libertar da dependência dos desenvolvedores de softwares pagos no que se refere a espera para recebimento de pacotes de atualizações, requisitos para instalação de softwares, preços, calendários de fornecimento, entre outros fatores que podem até mesmo gerar atrasos em projetos empresariais.

5 — Fiscalização

Outra vantagem em optar por softwares livres está em se isentar da burocracia referente à fiscalização da empresa com relação ao uso incorreto de softwares pagos. Neste caso, o uso incorreto por ser definido como um software pirata, uma licença expirada ou até mesmo a distribuição incorreta de uma licença adquirida, além da necessidade do controle de inventário de licenças da empresa.

Fontes: Tecmundo, Motherboard, Gizmodo, Escola Linux

Sobre o Autor

Jeronimo Molina administrator

Deixe uma resposta